Marcenaria

Corrediças para diferenciar seus móveis: saiba como escolher

Escolha correta das corrediças pode representar o fim da assistência técnica. Ferragens ocultas ou telescópicas propiciam tecnologia e design diferenciado ao mobiliário

No mobiliário, um ponto tão importante quanto a cor do móvel e seu design, é a escolha das ferragens que tornam esse projeto funcional. Embora possam passar desapercebidas no dia a dia, a escolha correta de corrediças ou sistemas de gavetas faz toda a diferença nos móveis da cozinha, dormitório, escritório e closet com gaveteiros, por exemplo.

Com diferenciais tecnológicos, as corrediças simples, ocultas ou telescópicas apresentam atributos que devem ser levados em consideração no momento de apresentar as opções aos clientes.

Questões como capacidade de carga, funções desejadas, frequência de uso e perfil do projeto são alguns dos itens que devem ser avaliados. Isso vale para marceneiros, industriais, designers ou arquitetos na hora da especificação. O material de fabricação e acabamento também são diferenciais. É claro que cada escolha passa pelos interesses de consumo do cliente, mas é preciso explicar e apresentar os diferenciais de cada modelo.

E se você acha que não existe diferença, saiba que há pelo menos quatro benefícios diretos na escolha correta das corrediças. São eles:

  1. Perfeita funcionalidade do mobiliário.
  2. Melhor aproveitamento interno do móvel, com ergonomia e inteligência.
  3. Valor agregado à estética do projeto e da sua linha de produção.
  4. Redução ou até mesmo fim dos índices de assistência técnica.

Corrediças: Conheça os diferentes modelos

Em geral, as corrediças apresentam tamanhos que vão de 250 a 700 milímetros, com medidas variando de 50 em 50 milímetros. A FGVTN, por exemplo, possui diversos modelos de corrediças para vários tipos de projetos – dos populares aos de alto padrão.

Corrediças de roldanas

Tipo mais comum e de fácil instalação, são aplicadas em móveis mais simples ou de carregação. Por conta disso, não costumam apresentar apelo no design dos produtos.

Corrediças telescópicas

De fácil instalação, as corrediças telescópicas se adequam a diferentes projetos em função da variedade de medidas e capacidade de carga.  

Hoje, são os modelos mais comercializados no setor moveleiro e apresentam diferentes versões – desde os modelos tradicionais até os sistemas com amortecimento acoplado, sistema one-touch acoplado (dispensa o uso de puxadores), self-closing e inox.

No portfólio da FGVTN, as corrediças também apresentam diferentes alturas e medidas de profundidade. As estreitas são denominadas H35, os modelos intermediários de H42 ou H44 e as mais largas são chamadas de H45. Destas corrediças, cada par possui uma capacidade de carga distinta, que pode variar de 25Kg a 100Kg. 

Corrediças Ocultas

São as ferragens diferenciadas, que ficam escondidas por “baixo” da gaveta. Discretas e muito funcionais, agregam valor ao mobiliário por não aparecer nas laterais das gavetas quando abertas. São os modelos mais aplicados nos móveis expostos no Salão do Móvel de Milão e Eurocucina, e que despertam o imaginário dos profissionais. Também há vários modelos de corrediças ocultas, com capacidade de cargas que variam de 25kg a 45Kg. Entre elas, destacam-se:

– Modelo Slow, com abertura parcial e total;

– One-touch, com abertura parcial e total, e que dispensa uso de puxador;

– Oculta Syncro, ou 3D – possui diversas regulagens diferenciadas e amortecimento;

– Slim, versão econômica da corrediça oculta com amortecimento;

– Corrediças ocultas com pino, nas versões de amortecimento e One-touch (com abertura parcial e total).

Portfólio! Conheça todas as soluções da FGVTN no segmento de corrediças neste link.

Custos e erros comuns na escolha das corrediças

O custo dessa ferragem, considerando o valor total de um projeto de cozinha, fica entre 1% e 3%, dependendo do modelo escolhido. Contudo, o que mais acontece é o profissional querer “economizar”. Isso acaba por elevar os índices de assistência técnica e comprometer a imagem da empresa. Ou seja, prejuízo duplo!

Um exemplo comum é a compra de uma corrediça de 25kg para aplicação em gavetões. Vale lembrar, a carga suportada pela ferragem não é somente o que o consumidor irá colocar dentro do módulo. É necessário somar o peso total da gaveta.  

Outro exemplo comum nos móveis considerados de alto padrão é a instalação de uma ferragem simples, sem amortecimento, por exemplo. “Tudo depende do projeto, mas é possível alinhar perfil econômico do cliente e agregar diferenciais ao móvel. Não se trata apenas de abrir e fechar gavetas”, pondera Ariel Lima, gerente comercial da FGVTN. “A aplicação correta da ferragem faz toda a diferença”.

Nesse post – clique aqui – já explicamos as vantagens dos móveis com abertura por toque. Além de mais praticidade e agregar valor ao móvel, a tecnologia presente nessas corrediças garante funcionalidade para gavetas e portas. No vídeo, acompanhe o passo a passo de instalação da Corrediça FGVTN Oculta One-Touch.

Dicas práticas para acertar na escolha das corrediças

– Avalie o móvel produzido e o público a que ele se destina.

– Considere o custo das corrediças, mas busque ferragens que possam agregar valor ao mobiliário fabricado. É possível adequar custo x benefício.

– Procure corrediças que permitam o aproveitamento interno do móvel. Os modelos de extração total representam até 10 cm a mais de espaço para acessar objetos no seu interior.

– Busque corrediças que possam proporcionar conforto e facilidade na rotina do cliente. O fechamento silencioso e suave faz toda diferença.

– Avalie sempre o tamanho e capacidade de carga das corrediças.

– Compare o material de fabricação e acabamento, pois eles podem diferenciar o seu móvel dos concorrentes.

– Procure um fornecedor capaz de atender sua demanda de produção e que ofereça conceitos e soluções inovadoras.

O que você achou das nossas dicas? Deixe seu comentário e acompanhe nosso blog para saber mais sobre o mercado moveleiro!

2 comentários

Deixe uma resposta