Eventos

Mostra Container apresenta novo conceito de moradia sustentável

Já sonhou com uma casa toda sustentável? Por mais distante que isso possa parecer, a Mostra Container transformou em realidade e abriu visitação ao público no dia 1 de agosto. Com energia fotovoltaica, reuso de água e outras inovações que trazem melhor qualidade de vida a um custo similar ou inferior ao que você conhece, ela transforma o conceito de morar e de construir.

O projeto idealizado pela empreendedora Tatiana Hultmann Stavitzki, em 2015, conta com o trabalho coletivo de 50 profissionais da arquitetura, engenharia, design, comunicação e gestão, sendo dois deles refugiados de guerra da Síria e uma estudante de design da Eslovênia.

O evento, que promove reflexões sobre arquitetura, moradia sustentável e inovação, tem ainda a primeira casa de Curitiba com o selo GBC – um certificado internacional de sustentabilidade. Além disso, é a primeira casa de container e steel frame do Brasil a receber esse tipo de certificação. A GBC considera critérios de inovação, liderança, responsabilidade social e gestão ambiental.

A casa de 375m², que foi feita com sete containers, fica dentro de um condomínio fechado, em um terreno com bosque protegido. Tudo na casa é funcional e foi pensado nos futuros moradores. Ela possui sala de televisão, biblioteca, brinquedoteca, sala de jantar, lavabo, cozinha, churrasqueira, lavanderia e até espaço zen.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Durante a construção, os participantes se reuniam mensalmente e organizavam eventos para patrocinadores e apoiadores. Paralelo à obra, aconteceram cursos e palestras no local, que agora está aberto para visitação.

Quais os destaques da casa

Além de ser construída predominantemente em container, a casa também adota o método construtivo steel frame, que se caracteriza por gerar menos resíduos do que as construções tradicionais.

“De acordo com documento oficial da visão 2050 do Brasil, o setor da construção civil é um dos maiores consumidores de energia e recursos naturais. Sua cadeia produtiva é responsável por 75% da extração desses recursos, entre água, madeira e minerais, gerando cerca de 50% dos resíduos sólidos urbanos e o desperdício dos materiais pode chegar a 40%; por isso é preciso repensar a forma de projetar e construir e adotar métodos alternativos e funcionais”, explica Tatiana.

Mais de 20% da energia elétrica utilizada é produzida na própria casa, por meio de painéis fotovoltaicos. Além disso, outras medidas foram adotadas, como o aproveitamento da luz natural com a instalação de grandes janelas, eletrodomésticos e lâmpadas mais eficientes, conjunto que proporciona uma economia de mais de 30%.

Há também um sistema de aproveitamento de água da chuva, que é captada pelo telhado, tratada e abastece duas bacias sanitárias, sendo uma delas convertida para a limpeza geral da casa.

Como visitar

Visitas agendadas pelo site da Mostra. Período: 15/08 a 21/09. Horários: seg-sex: 13h30 /15h30 / 17h30 / 19h30 |sáb: 11h30|Estr. Ângelo Pianaro, 1631-Butiatuvinha, Curitiba-PR.

um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: