Sonhos que se tornam realidade

O nascimento do sonho de dois irmãos, num barracãozinho de aproximadamente 40 m², e os frutos colhidos ao longo da história, fizeram da Móveis Campo Largo uma das empresas mais tradicionais e sólidas do mercado Paranaense.

O amor sincero de dois irmãos

Um antigo sonho levou os irmãos Carlito e Luiz Marochi, descendentes de italianos, a montar uma pequena marcenaria em 1961. Surgia então a Móveis Campo Largo. O mais velho, Carlito, tinha uma pequena experiência no setor, pois trabalhava com seus outros dois irmãos onde moravam, na Colônia Rio Verde.

Equipe engajada

O economista, advogado e especialista em marketing empresarial, Edson Luiz Marochi, está há 37 anos na Móveis Campo Largo e atua desde 2000 como diretor. “Fui criado em uma fábrica de móveis. Desde criança via meu pai e meu tio trabalhando com madeira enquanto superavam dificuldades da época. Isso me fez desenvolver um sentimento de compromisso em ajudá-los a crescer e prosperar em um negócio que teve muito sacrifício”, relembra.

Para ele estar à frente de um grupo como esse implica em comprometimento, liderança e capacidade de escolher pessoas que tenham um objetivo comum: a prosperidade do negócio. “A importância de um time ou de uma equipe é vital para o sucesso. Hoje, se não tivermos pessoas e processos na nossa empresa não conseguiremos sequer manter o negócio, quanto mais crescer”, explica.

Se Edson pudesse escolher uma palavra para marcar a trajetória da Móveis Campo Largo seria “honestidade” (em todos os sentidos). Para o diretor, a tradição gera confiança no consumidor e é um dos fatores decisivos na hora da compra: “Teoricamente, quanto mais tradição, maior a solidez da empresa”.

Conheça o grupo

Hoje o grupo conta com 280 funcionários e é formado por 11 lojas em Curitiba, Campo Largo e São José dos Pinhais, atendendo desde a classe AA até a classe B+, segundo estratificação do IBOPE.

Há quase 56 anos no mercado, a Móveis Campo Largo fabrica basicamente dormitórios, racks e conjuntos estofados. Entre as prioridades está a qualidade do produto e diferenciais como produção própria (35% do que é comercializado nas lojas), reflorestamento (atualmente são autossuficientes em madeira reflorestada), parcerias exclusivas com as melhores marcas do Brasil, financiamento, frota própria e montagem no ato da entrega.

O trabalho é feito basicamente com chapas madeiradas de MDF e madeira. Muitos produtos comercializados são personalizados pelo cliente e encomendados, mas tratando-se de indústria, eles mantêm um estoque de matéria-prima para 60 dias.

Entre as marcas parceiras da Móveis Campo Largo destacam-se, em volume, a Móveis Herval, Sier Móveis, Móveis Rudnick, Estofados Jardim, Bell Art estofados, entre outras. “A parceria com a FGVTN iniciou-se há 30 anos quando ainda se chamava Técnica Nacional. Na época houve necessidade de uma corrediça especial (TT-10) que respondeu com ótima qualidade e a união continuou com o atendimento por meio da representada Abilitá”, recorda o diretor.

“Nos últimos anos, acompanhando a tendência para móveis planejados, iniciamos a produção artesanal da linha que esse ano entrará a pleno vapor. Estamos instalando novo maquinário, com tecnologia de ponta que nos permitirá brigarmos por uma grande fatia do mercado. Aliado a isso, também faz parte do grupo uma loja ‘boutique’, a Simmetria Ambienti, bem diferenciada, com produtos assinados por designers renomados e alvo dos profissionais especificadores”, conta.

Dia a dia do mercado moveleiro

Para Edson, o setor está sofrendo com uma das piores crises políticas da história – aliada ao desequilíbrio econômico mundial, com a escassez do dinheiro e as incertezas quanto aos rumos do Brasil. Então é natural que o consumidor reprima sua demanda. “Temos que ter ciência que dificilmente veremos alguma melhora antes de 2019, após as eleições. Até lá temos que adaptar os custos com as receitas e procurar ao menos manter o equilíbrio”.

O sucesso do passado e as conquistas do futuro

O fator determinante para a Móveis Campo Largo ter sucesso e perdurar ao longo do tempo é, com certeza, o comprometimento dos sócios, gestores e equipe de colaboradores. Eles estão sempre atentos às mudanças e inovações, além de se preocuparem em ter os números na mão, como custo fixo, ponto de equilíbrio, margem e outros.

Para o futuro existe a preocupação com as pessoas, tanto é que nos últimos anos eles têm investindo muito na formação e qualificação dos colaboradores. Há também a aplicação no parque fabril, mas o maior volume de recursos tem sido destinado a imóveis como lojas próprias. “Nosso objetivo é mantermos a liderança do setor na região que atuamos, ou seja, Curitiba e região metropolitana. Buscando sempre ampliar a fatia de mercado que atualmente gira em torno de 30%”, finaliza o diretor.

Deixe uma resposta